Thursday, March 27, 2008

Tentando definir

Mas quem me ensina a admirar a diferença
que existe em outro povo, outra vida, outra crença ?
Todos presos dentro da mesma doença
Com medo de olhar pro que não é igual

Trecho da música 'NEGRO'
Megarex



Alguns acontecimentos nas últimas semanas, de alguma forma, me incentivaram (para não dizer que me desafiaram) a definir de uma vez por todas qual é a minha fé, minha crença, minha religião.

Não é que eu esteja em busca de uma certeza, de uma verdade. Penso que estou mesmo é tentando encontrar fundamentos para a manutenção das minhas dúvidas. Isso mesmo, tenho dúvidas e prefiro continuar com elas, não tenho interesse em respondê-las.

Eu entendo que, com o nível de conhecimento que a humanidade atingiu, o mundo atual é incapaz de provar o que as religiões, teístas ou ateístas, insistem em afirmar. Também não quero dizer que estou limitada ou fechada em um único argumento. Pelo contrário. Sinto-me aberta para tentar entender, aceitar e, sobretudo, respeitar, todas as teorias que chegam aos meus ouvidos.

Mas admito, minha abertura refere-se mais à curiosidade em saber o que as pessoas têm a dizer, para, ao entender suas crenças, entendê-las melhor também como seres humanos. Não sinto que serei convertida ou influenciada.

Se uma pessoa afirma que sua fé removeu montanhas (metafóricas ou não), eu vou admirá-la por isso. Se uma pessoa diz que vive tranqüila cada dia de sua vida, pois sabe que o fim está próximo e Jesus a salvará, eu a admiro igualmente. Se outra diz que Deus não existe e prefere acreditar que nada rege sua vida, eu também a admiro.

Mas quanto a mim? O que me faz viver? Com tantas indefinições, a pergunta permaneceu ecoando por dias. Então resolvi pesquisar, procurar por gente que pensa como eu. E encontrei, e defini.

Minhas fontes talvez não sejam as mais confiáveis, mas foi onde eu encontrei maior identificação: orkut e Wikipedia.

Sou agnóstica. E a frase que melhor define a minha crença transcrevo abaixo:


O agnóstico, à primeira vista, opõe-se não propriamente a Deus, mas sim à possibilidade de a razão humana conhecer tal entidade. Para os agnósticos, assim como não é possível provar racionalmente a existência de Deus, é igualmente impossível provar a sua inexistência. (...)

O agnosticismo não é um meio-termo entre teísmo e ateísmo, se classifica de acordo com um critério diferente. Teísmo e ateísmo separam aqueles que acreditam num deus daqueles que não acreditam. O agnosticismo separa aqueles que acreditam que a razão não pode penetrar o reino do sobrenatural daqueles que defendem a capacidade da razão de afirmar ou negar a veracidade da crença teística.


Existem categorias para o agnosticismo, claramente definidas pela Wikipedia: Agnosticismo estrito ou forte, Agnosticismo empírico ou suave, Agnosticismo apático, Ignosticismo, Agnosticismo modelar. Contudo, o que melhor a Wikipedia pode definir para o meu agnosticismo, é justamente no trecho em que ele não é rotulado:

Existe também a associação de agnóstico com aquele que crê em uma força maior, mas não se detêm a uma religião específica, apenas respeita a mágica que governa o universo.


Não há muito mais a dizer. O post foi grande, e acho que tudo está bem claro. Ao menos para mim. Pretendo saber mais, seguir em minha busca. E continua sendo mais por curiosidade do que por qualquer outra razão.

Beijos!

2 Comentário(s) para: Tentando definir

  • E aí, moça bonita!? Taí um assunto que muito me interessa... religiões! Mas tb ainda não sei me definir, mais fácil dizer o que não sou... beijo!

    Anonymous val, em 11/4/08 09:29  

  • Faz um tempão que não visito seu "virtual space"... E como sempre é um encantamento ler suas palavras tão belas e sensatas...

    Deus não é realmente um tema para seres humanos... Deus não necessita da crença... Deus não carece de nada...

    Como diz Lao-Tsé: Se pudermos nominar ou descrever o princípio, sabe-se que já não o é...

    Parabéns pelo seu aniversário...


    Um amigo

    Anonymous Anonymous, em 4/5/08 19:07  

Post a Comment

<< Voltar ao blog