Friday, March 10, 2006

Segredos

Eu tenho um certo orgulho por minha transparência, por ser um livro aberto. Não estou me referindo somente às coisas que escrevo no blog. Até porque não dá pra falar de tudo aqui, a não ser que eu escrevesse em tempo real, como uma espécie de Big Brother. Me refiro, sim, à minha vida como um todo, e ao que as pessoas sabem sobre mim. Todo mundo sabe o que estou sentindo: bem, mal, triste, feliz, chateada...

Se alguém me confidencia algo e me pede segredo, eu cumpro o combinado. Mas, de minha parte, evito compartilhar segredos com as pessoas. Geralmente, quando falo de minha vida para alguém é quase certo que eu já contei a mesma história tantas vezes para outras pessoas. E se não contei, deve ser alguma novidade que estou começando a "espalhar".

O que eu não falo, não é por não querer, mas sim porque realmente há coisas que não são mesmo interessantes para o ouvinte!

Mesmo assim, os poucos segredos que devo ter, estão guardados comigo mesma, e não com outras pessoas.

Para mim, parece lógico. Não vou esconder quem verdadeiramente sou. Será bem mais fácil ser aceita em um grupo e manter uma boa amizade se eu me mostrar por completo e sem disfarces. Gosto de ser previsível. Gosto de não surpreender.

Porém, creio que assim como todo mundo, eu me redescubro a cada dia. Não nasci pronta, com todas as minhas opiniões formadas, meus sonhos todos definidos, minhas vontades todas listadas. De repente eu falo (bem ou mal) de algo ou de alguém hoje, e amanhã já não penso a mesma coisa. Ou então se até bem pouco tempo atrás eu queria, desejava algo para mim, com o passar do tempo, os planos precisam ser modificados, adaptados. Enfim, vários são os exemplos de transformações, de mudanças que ocorrem com ou sem a nossa interferência.

E não dá pra sair procurando todas as pessoas que me ouviram e "atualizá-las" sobre as minhas novas idéias. É isso o que me complica! Nessas horas eu acabo surpreendendo não só a mim, como também a toda "platéia".

Por isso há quem pense que eu entro em contradição, ou que sou imprevisível, inconstante. Não discordo dessas definições à minha pessoa. Mas a verdade é que há em mim uma grande intenção de ser assim como acabei de escrever: transparente. Eu até acho que tenho algum êxito. Mas não sei se consigo totalmente. Entretanto, se é isso que vale (a intenção), me perdôo sempre pelos deslizes que cometo, afinal, sou humana.

E para ilustrar melhor do que eu, Zélia Duncan canta:


CARNE E OSSO
Paulinho Moska e Zélia Duncan


A alegria do pecado
Às vezes toma conta de mim
E é tão bom não ser divina
Me cobrir de humanidade me fascina
E me aproxima do céu


E eu gosto
De estar na terra
Cada vez mais
Minha boca se abre e espera
O direito ainda que profano
Do mundo ser sempre mais humano


Perfeição demais
Me agita os instintos
Quem se diz muito perfeito
Na certa encontrou um jeito insosso
Pra não ser de carne e osso

Pra não ser carne e osso


(Vou acabar transcrevendo todo o cd da Zélia Duncan aqui. Hehehe)


Beijos!

4 Comentário(s) para: Segredos

  • Pois é...
    É bem mais fácil ser transparente. Mas infelizmente, existem as pessoas que inflam o peito e se dizem transparentes... quando na verdade, não passam de uma farsa.
    O que concluo com tudo isso é: não dá pra ser 100% transparente, assim como não dá pra ser 100% falso. De uma forma ou de outra, uma das características acabam aparecendo. E é por isso que somos humanos, e não divinos. :)
    Eeeeiiii, boa festa na Órbita! Eu queria ir, mas nem vou poder! :(
    Mas marca aí uma outra oportunidade, um outro lugar ou outra ocasião... que a gente se conhece! :)
    Divirta-se! E beijos!

    Anonymous Anne, em 10/3/06 20:58  

  • Rapaz, eu detesto meu nome todo em minúsculo, ó... :/

    Anonymous Anne, em 10/3/06 20:59  

  • Eu era uma pessoa mais aberta, mais transparente, mas a vida meu deu umas cacetadas e aprendi a me fechar mais...

    Ainda me considero transparente, para meus amigos mais próximos, para com meus sentimentos, pois não consigo mascará-los... Prefiro vivê-los, mesmo tendo gente reclamando que tô emburrada, ou com um olhar triste, ou dando uma gargalhada alta demais...

    Antigamente eu me intitulava um livro aberto, onde todo mundo vinha, folheava, lia e depois iam embora... Mas hj em dia ou acredito que seja um livro com páginas marcadas...

    É complicado essas coisas! Principalmente quando vc se sente em processo de transformação...

    Bjos!

    Blogger Xelly, em 13/3/06 15:31  

  • Através de ti eu vejo. Através de ti eu penso que tudo se move através de ti. Através de ti eu ouço, e tudo que eu ouço me interessa...

    Anonymous Pirulito, em 15/3/06 04:42  

Post a Comment

<< Voltar ao blog